Uma conversa honesta sobre a Abreu Newsletter

Sunday Drops ūüĆä #16

Tive receio ao escrever esse texto pois estou no processo de criar a newsletter h√° t√£o pouco tempo que sinto que ainda tenho que entregar muito conte√ļdo e consist√™ncia para ter autoridade no tema. Apesar disso, talvez por ainda ser "novidade" no Brasil ou porque as pessoas est√£o gostando, venho recebendo perguntas sobre o processo de escrever a newsletter. Compartilho abaixo um pouco de como tem sido a jornada: 

Oficialmente a Abreu Newsletter foi lan√ßada como The Drafter, um nome tosco que ainda bem foi alteradoūüôŹ . De l√° para c√°, publiquei 23 artigos, alcancei 235 subscribers, o que pode parecer pouco, mas j√° me d√° um baita orgulho, pois √© t√£o prazeroso saber que suas ideias est√£o atingindo pessoas incr√≠veis, desde empreendedores, gestores de fundos at√© jovens que est√£o come√ßando a carreira. 

O objetivo de criar a newsletter foi utilizar a escrita como forma de "fortificar" conceitos, me auto questionar constantemente e principalmente aprender, uma vez que creio que ao escrever voc√™ acaba por ir a uma profundidade maior para conseguir transmitir as suas ideias. 

O beneficio de ter uma newsletter ‚Äúpessoal‚ÄĚ √© a liberdade de express√£o. Quando escrevia apenas nos canais institucionais do fundo que trabalho, sentia um "peso" pois naquele momento eu estava representando a "Astella". Escrever na minha newsletter traz uma liberdade de expor meus pensamentos, minhas teses e vis√£o de mundo sem se prender ao ‚Äúinstitucional‚ÄĚ, que exige um maior cuidado em edi√ß√£o, estrutura e tamb√©m nas ideias expostas. 

Para minha vida profissional, o objetivo da newsletter √© criar o que David Perell chama de "Monop√≥lio Pessoal", isto √©, uma rede de pessoas que se sentem conectadas comigo e acabam por gerar conex√Ķes que possam alavancar a minha vida profissional. Por exemplo, como Venture Capital, eu preciso ter acesso a founders e startups. A newsletter √© uma forma de se conectar com essa rede e espero que founders que precisem de capital, se gostarem de como eu enxergo o mundo, me busquem para trocar uma ideia. Em 5 meses que escrevo, j√° conversei com pelo menos 5 startups que os founders s√£o assinantes dessa newsletter e vieram conversar comigo ap√≥s ler meus conteudos, o que pra mim foi uma honra tremenda. Pode parecer pouco, mas o meu foco √© o longo prazo: v√°rios subscribers que leem hoje estar√£o lan√ßando startups daqui 3,4,5 anos e espero que me vejam como um poss√≠vel parceiro de investimento. Quero plantar uma semente para colher l√° na frente. 

Ter uma newsletter √© sobre consist√™ncia. J√° escrevi aqui quando algo na minha vida pessoal estava desalinhada, j√° escrevi quando estava cansado, j√° escrevi de ressaca, j√° escrevi num dia muito feliz, j√° escrevi inspirado, j√° escrevi ao inv√©s de sair. Essa parte √© a mais importante: consist√™ncia. √Č tipo atividade f√≠sica: ao criar o habito e compromisso consigo mesmo, voc√™ passa a obter mais e mais ganhos dessa atividade. No meu caso, os ganhos tem sido principalmente aprendizado e claridade mental. 

Como uso meu tempo livre para fazer isso, eu sempre busco escrever sobre coisas que estou verdadeiramente interessado. Eu penso pouco no p√ļblico e muito em mim nesse momento, pois eu preciso estar curtindo, uma vez que consome um tempo relevante. Escrevo porque me faz bem. 

Se voc√™ √© meu seguidor a algum tempo, sabe que ainda n√£o tenho um modelo t√£o definido. Por vezes envio o "Sunday Drops" como um compilado de links e outras vezes como artigo autoral. Isso varia muito de semana, eu sempre tive receio de enviar um question√°rio pois tenho medo da resposta. Como ainda n√£o sei como Lucas prefere, talvez goste da ideia de ir alternando at√© chegar o momento que descubra qual eu curta mais em fazer. 

Acredito piamente que se expor online pode te levar a lugares que voc√™ n√£o alcan√ßaria de outra forma. Um perfil de linkedin n√£o te diz nada sobre como voc√™ pensa, mas uma newsletter, um podcast, um twitter frequente pode ser magn√©tico de gente boa. 

Sobre distribuir conte√ļdo

No começo eu tinha uma "vergonha" e receio de estar enchendo o saco das pessoas ao ficar publicando no linkedin. Com o tempo, isso passou. O mindset saiu de:
"tenho medo de me expor", que é um puta crença limitante para "já gastei um bom tempo fazendo esse trabalho, nada mais justo que divulgar da melhor forma possível"

Acho que todos gostam de ganhar seguidores, ver novas pessoas que est√£o seguindo. Meu objetivo sem d√ļvida √© tornar esse rede muito grande, uma vez que vai maximizar os beneficios para mim. 

Mas como diz o ditado, o √ļnico lugar que sucesso vem antes de trabalho √© no dicion√°rio. Estou focado na miss√£o de longo prazo, ent√£o n√£o importa o hoje. Se eu entregar um trabalho bom, consistente, honesto e que gere valor, eu vou crescer inevitavelmente. 

Sobre meu processo de escrita 

Eu ainda n√£o tenho. Normalmente escrevo no s√°bado ou domingo de manh√£. Mas j√° escrevi as 21 horas de uma dia de semana. J√° escrevi quando acordei as 6 da manh√£. O que eu prefiro fazer √© fazer isso de forma cont√≠nua, nonstop. Procuro entrar num estado de "flow", ent√£o prefiro reservar 4 horas para escrever um post e simplesmente evitar me distrair nesse tempo. 

Tem vezes que crio um Outline (uma estrutura do texto), tem vezes que vou no free flow. Uma dica é não ligar para formatação no começo, deixar o texto fluir e só depois você começar a editar.

De fato eu s√≥ consigo escrever se eu curtir o tema, o texto. Esse ponto me d√° o gancho para o pr√≥ximo t√≥pico.  

Sobre a origem das ideias

como disse na intro, uma das raz√Ķes sobre o porqu√™ escrevo √© para aprender mais. Dito isso, a inspira√ß√£o nasce em uma das 3 fontes abaixo:

  • Meu trabalho. Por exemplo, se estou analisando uma startups de marketplace e estou precisando me aprofundar no assunto, para mim faz total sentido escrever um artigo como "Equa√ß√£o do take rate" ou "Hierarquia dos marketplaces". Ao escrever, aprendo muito sobre o assunto que preciso criar um conhecimento para desempenhar o meu trabalho.

  • Conte√ļdos que consumo. Acabo por ler muitos artigos e escutar podcasts, principalmente de founders e VCs de fora do Brasil. Isso me gera insights que transponho para os meus conte√ļdos. 

  • Observac√Ķes do dia dia. Uma dos aspectos mais legais de escrever constatemente √© que voc√™ se torna mais observador. Voc√™ v√™ algo interessante, nos ambientes mais aleatorios, e come√ßa a pensar: isso daria um artigo legal. 

A partir do momento que coleto um insight a partir dos 3 t√≥picos acima, adiciono no meu database de ideias. √Č basicamente uma lista com todas as ideias que tenho. A maior parte vai ficar eternamente nessa lista, mas √© um reposit√≥rio especial de diferentes assuntos e temas que considero interessante (me aprofundei no database no artigo Sistema Pessoal de Produtividade)

Sobre bloqueio criativo

Depois que comecei a escrever, entendi o qu√£o d√≠ficil √© fazer isso. Tem dias que tudo flui, um texto sai em 1 hora (como foi Checklist para seed em startups), tem outros dias que voc√™ gastou 4 horas e ainda n√£o saiu da introdu√ß√£o. At√© hoje s√≥ encontrei uma sa√≠da e infelizmente n√£o √© uma resposta que vai te ajudar a cortar caminho: apenas sentar e trabalhar trabalhar trabalhar que uma hora sai. 

Como enxergo o futuro do Abreu Substack? 

At√© o final de 2021, o meu objetivo √© alcan√ßar 500 subscribers. Talvez eu consiga ou n√£o, honestamente n√£o me importo muito. O que quero √© escrever consistentemente. Colocar minhas ideias para p√ļblico, validar se s√£o boas e me beneficiar pessoalmente e profissionalmente desses frutos. 

Tenho tantos textos a escrever, tanto a aprender que me sinto super energizado. 

Sou generalista e a newsletter tende a permanecer assim. Ora falo de Venture Capital, ora Startups, ora Passion Economy, ora Hacks de produtividade. N√£o tenho um tema espec√≠fico e vou acabar levando os artigos de acordo com os meus interesses. 

Quero come√ßar a usar mais o twitter pois l√° rola uma intera√ß√£o bacana e acredito que vira um ciclo virtuoso com a newsletter. 

Como posso te ajudar?

Honestamente, newsletter √© uma jornada solit√°ria. Ela depende apenas do escritor. Se voc√™ tiver interesse genuino, eu recomendaria voc√™ se desprender do medo do julgamento outro e se jogar na ideia de que voc√™ est√° apenas aprendendo. 

O que voc√™ precisa √© de consist√™ncia e uma hora isso vai ser recompensado. 

Vista-se como um aprendiz, √© muito mais leve voc√™ levar esse side job como uma jornada de aprendizado. 

Para comecar a escrever, consumi muito conte√ļdo sobre esse assunto. Criei no link abaixo uma colet√Ęnea de artigos, podcasts, conte√ļdos para quem pensa em criar uma newsletter. Eles podem te ajudar: 

-> Acesse a biblioteca

Caso queiram ajuda, dicas, feedbacks sobre produ√ß√£o de conte√ļdo, fiquem a vontade para me acionar que ser√° um prazer. (‚úČÔłŹ lucasbarbosaabreulima@gmail.com)


Tem sido um prazer dividir essa jornada com vocês,

Uma ótima semana,

Lucas 

Se você curtiu o artigo, compartilha com quem quer tirar do papel o projeto de uma newsletter  

Share

Para se inscrever na Newsletter, adicione seu email na caixinha abaixo: