Sunday Drops 🌊 #28

Venture Capital; Startups e Mídia; O pitch perfeito; A nova máquina; Máfia Tech.

Queridos leitores,

hoje vou compartilhar reflexões e artigos sobre diferentes tópicos relacionados ao mundo das startups.

Vou da pescaria 🐠 a máfia 🕵️


Venture Capital e Pescaria

Venture Capital é como pescar: algumas pessoas tem a isca perfeita, outras pessoas sabem muito bem como capturar o peixe após ele morder a isca. Mas muito da ação acontece antes de lançar a vara: é descobrindo se o rio tem peixe, para onde o vento está soprando e qual época do ano ideal para pescaria.

via Blake Robbins


Startups e Mídia

Esses dias cruzei com esse twitter do Josh Constine, antigo editor chefe da TechCrunch:

A real é que eu concordo.

Quando um founder escreve um Memo sobre a empresa anunciando a tese por trás de uma nova rodada ou compartilhando um fato novo relevante, me parece muito mais autêntico e profundo para capturar a atenção de quem mais importa: (i) seus clientes (ii) colaboradores (iii) potenciais colaboradores (iv) potenciais investidores (v) parceiros.

Tenho visto isso acontecer com frequência no mercado americano. Dois cases legais:

A startup compartilhou o investment memo da sua série A, contando a jornada, a missão, os planos futuros e a estratégia.

Brian escreveu um artigo contando sobre o investimento de US$ 21M da A16z e para onde a empresa está mirando no futuro. É um memo que

A minha visão é que, na maior parte das vezes, notícias em sites jornalísticos não transmitem a visão dos empreendedores e empreendedoras.

Creio que ao longo do tempo vamos ver mais founders anunciando sua captação com um texto autoral que retrate a jornada e o futuro da empresa (que pode ser via medium, linkedin ou até mesmo dentro de um jornal!). Isso serve até como um colateral para mostrar aos stakeholders (como por exemplo enviar para pessoas que a empresa quer contratar).

Founders que precisarem de ajuda, estou a disposição para ajudar com revisão e dicas sobre escrita!


O pitch perfeito

Os amigos da Norte Ventures, fundo de VC brasileiro, publicaram essa semana um material super completo sobre a elaboração do Pitch Perfeito.

É um conteúdo sintético, objetivo e rico em experiência prática que pode ajudar vocês empreendedores e empreendedoras a construirem o pitch de vocês.

Havia tempo que estava para ver um conteúdo sobre esse tema no Brasil tão bom!

Alguns highlights:

  1. Forma de comunicação ABC: ATIVO / BREVE / CLARO.

  2. Emails Pitch

Eles contextualizam sobre a importância de criar um email contando sobre a empresa de forma clara e planejada. Essa forma é pouco utilizada e eu considero uma das formas mais legais de aprender sobre uma empresa. Um exemplo de email pitch bem feito foi da Sword Health (startup) para Kosla Ventures (fundo de VC):

  1. Outra analogia que adorei foi Vitamina ou Aspirina.

👉 O PITCH PERFEITO - POR NORTE VENTURES E GABRIEL BENARROS


A nova máquina

Durante essa semana, fui ao nutricionista após anos. Como diz Hipócrates, o pai da medicina:

"Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio"

Ou seja, somos em parte o que comemos e fui entender como posso usar a alimentação como alavanca de energia, vitalidade e saúde.

Esse nutricionista trouxe uma reflexão sobre a mudança do papel do ser humano ao longo do tempo e o porquê precisamos buscar como sociedade constantemente melhorar para conseguir performar que me deixou reflexivo. Compartilho abaixo:

Há uma grande evolução na sociedade. No passado, eram máquinas e equipamentos que construíam produtos e gerava assim riquezas sociais. Os seres humanos eram “commodities” e os protagonistas eram as máquinas.

Já hoje, com a tecnologia e o capital humano, a máquina do século XXI é justamente o ser humano. São as pessoas que são as máquinas. E como todas as máquinas, precisa estar em constante evolução (e também manutenção!).

Por mais que essa frase seja uma verdade que escutamos recorrentemente, foi legal vê-lo colocando em palavras. Então, olhe para seus colegas, chefes, subordinados como máquinas que precisam estar bem sob aspectos intelectuais, emocionais e físicos para performar. Essa é uma das grandes transformações empresariais e as organizações que enxergarem isso isso terão maior produtividade por pessoa.

E nessa tendência, emerge com força o setor de Wellness, que é a categoria de produtos ou serviços focados em prover melhor qualidade de vida e bem estar para as pessoas.

De acordo com a McKinsey, Wellness pode ser dividido em 6 categorias:

A busca por bem estar tem sido uma tendência social, conforme retratado abaixo na pesquisa:

No Brasil, 74% das pessoas relataram que estão dando mais prioridade a esse tema!

E se tem tendência, vai existir startups querendo liderar essa transformação. E levará a um aumento do volume de investimentos em startups nesse segmento.

Por exemplo, se olharmos especificamente para a categoria de Mental Health Tech (Tecnologias para Saúde Mental), vemos que 2020 foi um momento especial, no qual US$1.6b foram investidos em startups buscando prover esse tipo de solução.

O mercado global de Wellness é de US$ 1.5 trilhões e está crescendo muito. Em todas as categorias, consumidores estão dispostos a gastar mais e existe um zeitgeist social em torno desse tópico (principalmente pós efeitos do COVID).

O desafio é construir produtos “aspirinas”, que façam tanta diferença na vida das pessoas que elas permaneçam engajadas ao longo do tempo.

👉 McKinsey - The future of the $1.5 trillion wellness markets-market


A Máfia Tech

No mundo das startups chamamos de Máfia um grupos de pessoas que após saírem da operação de uma startup específica, lideram empreendimentos inovadores.

O exemplo mais famoso é a PayPal Máfia, no qual o time que saiu da empresa fundou empresas como SpaceX, Tesla, Youtube, Linkedin, Pinterest, Lyft, Square. Membros de peso como Elon Musk, Peter Thiel, Keith Rabois, Reid Hoffman. 

Comentei num evento que participei com a Qulture Rocks essa semana que a ascensão desse perfil é muito animador pois são pessoas que já conviveram com organizações high growth e as dores do crescimento, o que torna o risco de execução menor.

Me perguntaram o que eu sugeriria para um colaborador que está numa scale up mas pretende empreender no futuro. Dei 4 sugestões:

1) Networking

2) Atitude do aprendizado contínuo em diversas ciências

3) Capacitação em habilidades específicas que precisam ser aprimoradas

4) Estudo profundo sobre um setor ou acompanhar o que está acontecendo no meio da tecnologia.

Vocês tem opiniões diferentes? Algum outro ponto para adicionar?

Se sim, comenta nesse post que vou adorar aprender com vocês! 👇


Dica da semana

Astella Around The World Ã© nosso novo podcasts de entrevistas apresentado pela Laura Constantini e pela Carolina Pascowitch (Lully) do nosso time na Astella. Nessa série, elas viajarão ao redor do mundo e conversarão com grandes líderes de tecnologia, explorando suas histórias, pontos de vista e perspectivas sobre investimento em tecnologia; buscando capturar sempre a essência, inspirações e aspirações de vida desses líderes.

Nesse primeiro episódio, elas receberam os Chris Yeh e Jeff Abbott do Blitzscaling Ventures que compartilharam como eles trouxeram os princípios do Blitzscaling, livro de autoria de Chris em co-autoria com Reid Hoffman, para apoiar empresas em estágio de crescimento que se transformam rapidamente em líderes de grandes mercados.


Foto da semana

Participei de um talk irado sobre Venture Capital com a galera gente boa da Qulture Rocks!!

QR está revolucionando a forma como empresas gerem pessoas por meio de uma plataforma digital de gestão de desempenho que acaba por sistematizar as melhores praticas culturais.

Para quem está buscando uma oportunidade profissional, é uma baita empresa que é um celeiro de talentos e com certeza, vários “máfia techs” vão sair daí. Fica de olho nas vagas: https://www.linkedin.com/company/qulture-rocks/jobs/


Curtiu a newsletter ?

Receba todos os domingos no seu email. Basta se inscrever abaixo:

Compartilha!!! Nas redes sociais, no slack, no whatsapp!

Share

Uma ótima semana a todos,

Lucas