Mapa dos problemas que temos que resolver para minimizar os impactos do COVID19

Introdução

A preocupação com os impactos sócio-econômicos ocasionados pelo COVID 19 provocaram a concepção do Mega Hack Covid 19. O propósito do desafio é ser uma maratona criativa que tem como objetivo de criar um grande banco com projetos reais e ideias que possam ajudar a reduzir os impactos que o COVID 19 tratá para nossa economia, contando com milhares de pessoas e empresas que vão dedicar esforços durante 11 dias para “co-criarem” projetos de alta relevância.

A palestra de abertura da maratona criativa MegaHack foi realizada no dia 27/03 com o economista Ricardo Amorim, presidente da Ricam Consultoria, eleito uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil, reconhecido como o economista mais influente do país pela Forbes, além de ser o influenciador latino americano mais seguido no Linkedin.

Para assistir a palestra: https://www.youtube.com/watch?v=D9KwMmdyMwQ

São 3 temas principais abordados pelo Ricardo:

  1. Perspectivas de como evolui a epidemia do Corona Vírus

  2. O que significa para a economia brasileira

  3. A partir dos impactos na sociedade e na economia, quais necessidades irão surgir que serão terreno fértil para inovação

Evolução da Epidemia

O que prevalece nas discussões sobre o novo Corona Vírus é a incerteza.

Por mais que ainda não haja um consenso dos epidemiologistas sobre o modelo correto de proliferação, é possível identificar padrões de evolução dos infectados a partir dos acontecimentos nos outros países. Com isso, é razoável idealizar cenários sobre o potencial impacto no Brasil a partir do dia 1 de infectados no território nacional.

Alguns pontos colocados pelo Ricardo:

  • É provável que o número de casos multiplique por pelo menos 10 nas próximas semanas

  • Em média, 10% dos casos exigem tratamento intensivo de ao menos 1 semana com provável necessidade de respiradores e UTIs, considerados gargalos na infraestrutura brasileira

Existe um padrão entre os países que detém maior taxa de letalidade, que é o colapso do sistema de saúde. Basicamente, os 10% dos infectados pelo vírus necessitam de mais UTIs e respiradores do que o país tem capacidade ofertar. Consideremos o exemplo da Itália para ilustrar quando o sistema de saúde colapsa:

  • No dia 18 de Fevereiro o país tinha 3 casos de Corona Vírus e nenhuma morte.

  • No dia 11 de Março, a Itália tinha 10.000 casos e 631 mortes com um sistema de saúde insuficiente para prover o tratamento adequado.

O colapso do sistema de saúde leva as mais graves e profundas consequências sócio-econômicas. A taxa de mortalidade (em média) é 8x superior quando acontece o colapso.

O Ricardo enxerga 3 cenários mais prováveis sobre os impactos do Corona Vírus no Brasil:

Soluções na Saúde e na Economia para combater o COVID

É possível dividir as soluções em 2 focos de atuação: Saúde e Economia.

Seria muito impactante soluções na Saúde que:

  • Maximizem a capacidade do governo em monitorar a disseminação do Corona, a fim de ter maior controle sobre portadores do vírus para frear o ritmo de transmissão

  • Melhoram e aumentam a produção de tratamentos necessários aos portadores do Corona.

Seria muito impactante soluções na Economia que:

  • Endereçarem as demandas de curto prazo da população e das empresas. Por exemplo: Soluções que visam aumentar a renda dos trabalhadores informais ou das pequenas empresas.

  • Geraçao de oportunidades de longo prazo que terão terreno fértil para crescimento após o Corona. Por exemplo: A telemedicina, que por mais que detenha diversos desafios acaba por democratizar o acesso à saúde.

Soluções que ajudem a controlar a transmissão, auxiliem o tratamento aos contaminados ou promovam a geração de renda aumentam a capacidade brasileira de responder à crise com menos mortes e menos necessidade de medidas de isolamento social.

O diagrama abaixo explora alguma das oportunidades abordadas ao longo da conferência.

O diagrama abaixo explora alguma das oportunidades abordadas ao longo da conferência.

Iniciativa Mega Hack

O Mega Hack é uma iniciativa aberta que busca trazer as melhores cabeças para a criação e o compartilhamento de soluções que podem minimizar danos e construir maneiras inovadoras de superar os desafios econômicos trazidos pela pandemia do COVID19.

Serão formados grupos de até 5 pessoas com habilidades complementares mentorados por referências do mundo de empreendedorismo com o intuito de, ao final da jornada de 11 dias, ser publicado um banco público de soluções para endereçar os impactos do COVID19 tanto na saúde, quanto na economia e nos mais diferentes setores.

Para saber mais: https://megahackcovid19economia.shawee.io/

Para se inscrever: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc18GhnZB71MaS3kOmYfv_6m2Wg7yfXOqOf8fF2xVgl9ITWxA/viewform

Iniciativas Ricardo Amorim

Desde o início da quarentena, o Ricardo tem focado em 4 grupos de iniciativas:

  1. Iniciativas de Startup e Empreendedorismo de onde sairão soluções para o momento e para o futuro

  2. Soluções que auxiliam os grupos de profissionais da saúde.

  3. Soluções para os mais vulneráveis.

  4. Soluções para fomentar a educação. Nesse caso, a plataforma de educação do Ricardo Amorim, a AAA Inovação liberou o acesso da plataforma por 30 dias de forma gratuita.

Caso você tenha sugestões de como enfrentar os impactos do COVID19, vamos adorar conhecer mais. Basta escrever para astella@astellainvest.com.


Mapa dos problemas que temos que resolver para minimizar os impactos do COVID19 was originally published in Astella Investimentos on Medium, where people are continuing the conversation by highlighting and responding to this story.