Jay-Z: Businessman ?

"I'm not a businessman, I'm a business, man."

Jay-Z.

Essa frase boladona de Jay-Z representa uma realidade: nós todos estamos nos tornando negócios. Se há algo que tenho certeza é que a profissão que mais cresceu (na minha bolha) nos últimos anos foi a de influencers e criadores de conteúdo.

E esse novo mundo está apenas começando: A Lego fez uma pesquisa com crianças para compreender o que elas sonhavam ser quando crescerem. Os resultados mostraram que 1/3 das crianças nos Estados Unidos almejam ser Youtubers.

Acredito que daqui a 10 anos, o número de criadores digitais será exponencialmente maior do que já é hoje.

O que enxergo com esse trend é uma oportunidade massiva de gerar valor para esse público através de soluções que os ajudem a:

1) Crescer

Growth é uma ciência que as startups estão dominando. Há uma oportunidade grande de democratizar esse conhecimento para toda a base de criadores de conteúdos que estão no desafio de atingir uma base maior de pessoas (sem soluções simplistas de marketing pago, pf 😛)

2) Gerir

Se você é um negócio, você precisa aprender a geri-lo como tal.

Haverá uma nova safra de ERPs focados nos criadores digitais, para facilitar o seu dia-dia.

Outra parte da gestão também inclui uma melhor eficiência de tempo e recursos. Algumas empresas proporcionam a esse público boas ferramentas que tornam o seu trabalho mais profissional e fácil em diferentes searas como programação de mídia (MLabs), edição de vídeos (Filmr) ou gravação de podcasts (Anchor)

  1. Monetização

Criadores são omni-channels por natureza, ou seja, a sua receita é originada de diferentes canais. É normal ver criadores que monetizam a partir de um combo de: youtube, curso no hotmart, substack, podcast, etc. Dificilmente todos os ovos de ouro estarão em apenas uma cesta. Dito isso, creio em soluções que ajudaram os criadores a lidarem com os investimentos/retornos agregados de todas as plataformas. Uma empresa super interessante no USA que faz isso é a Stir, que acabou de levantar US$ 10MM no seu series A com a A16z.

No Brasil há duas empresas promissoras que hoje atuam na parte da monetização de grupos de telegram/whatsapp: Chatpay e Lastlink. A cadeia de valor me faz crer que no futuro elas se direcionarão para agregar as diferentes fontes de receita e facilitar a vida do criador. (talvez elas próprias sejam o ERP 🤔)

Por mais que haja consequências psicológicas e sociais gigantes derivadas dessa tendência, o lado positivo é que estamos dando mais poder as PESSOAS e menos as CORPORAÇÕES.

POWER TO THE PEOPLE ,

Lucas